fbpx

International Firewalking Day traz mais superação à ID Training

A participação do ser humano ao longo de milénios em “rituais de superação” levanta uma importante questão evolutiva: por que é que estas práticas perduram até hoje ao contrário de tantas outras?

Desde 2015, a ID Training estuda rituais e tradições de superação humana que se realizam um pouco por todo o mundo. Temos aprofundado estas práticas, sobre como realizá-las em segurança, separando a coragem e determinação da loucura e histerismo.
Temos também cruzado este conhecimento com o que hoje a neurociência começa a estudar em prol do desenvolvimento pessoal e organizacional. E esta é nossa paixão na IDTraining!

1 – No sul da Europa, o Firewalking (caminhar sobre brasas) é realizado há séculos. Na Grécia e na Bulgária todos os anos, comunidades ortodoxas andam descalças sobre brasas para celebrar (Anastenaria) dois santos cristãos:

Anastenaria
Anastenaria

2 – Mais perto, em Espanha, os moradores de uma aldeia na província de Soria, reúnem-se para caminhar sobre brasas e celebrar o solstício de verão:

during-S.Juan-in-S.Pedro-Manrique

A origem de ambos os rituais remontam pelo menos à Idade Média e, no caso da Anastenaria, a sua continuidade desafiou não apenas a passagem do tempo, mas também as adversidades, como o desenraizamento das comunidades após a Guerra dos Balcãs e séculos de perseguição pela Igreja Grega. Mas será que o sentimento de comunidade e pertença/tradição são suficientes para explicar estas práticas (leia sobre estas práticas “impossíveis”), que perduram também (vd. abaixo) nas Fiji, China, Tailândia, Japão, …?

Atualmente a neurociência vem revelar pistas novas: resposta fisiológica individual à “superação” e bem-estar!

Sim, leu bem.

À medida que os rituais se tornam mais excitantes, eles acionam hormonas que estimulam o sistema de recompensa do cérebro. Sensações como a dor ou o medo, tipicamente evitadas por serem negativas, podem ser transformadas em experiências prazerosas e empoderadoras – semelhantes à emoção experimentada no bungee-jumping ou na queda-livre, graças a um neurotransmissor – dopamina. Um aumento nestas hormonas (endorfinas) que se ligam aos recetores opiáceos do cérebro, produz a mesma euforia e bem estar, sentidos p.ex…. ao correr (que inclusive em certos casos produz um fenómeno “de superação” conhecido como runner’s high).

Será então que essas práticas sobreviveram ao longo da história humana por oferecerem benefícios individuais e não só sociais?

Assim, em simultâneo com o International Firewalking Day (6 abril), do qual nos felicitamos ser representantes em Portugal, falaremos sobre todas estas práticas e em segurança realizaremos uma série de experiências de pura superação onde poderá participar.

É já dia 6 de abril. 

Assista a momentos,

E testemunhos da 1ª edição.

Iniciar Conversa
Podemos ajudar?
Chat ID Training
Olá!
Escreva a sua questão e iremos responder o mais brevemente possível!